Escultura de águia com cobra apresentou danos estruturais e chamou a atenção da população. Prefeitura confirmou que os problemas não foram causados por vandalismo e disse que já acionou o Iphan.

O chafariz da Praça Visconde de Mauá, popularmente conhecida como “Praça da Águia”, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, passará por obras de restauração. A parte estrutural da escultura da águia com a cobra, bem em frente à Câmara Municipal, caiu há cerca de 15 dias, segundo a prefeitura, que confirmou que o problema não foi causado por vandalismo.

O monumento faz parte do conjunto arquitetônico do Palácio Hermogêneo Silva, mais conhecido como “Palácio Amarelo”, sede da Câmara Municipal de Petrópolis, e é tombado pelo Iphan e também pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac).

De acordo com a prefeitura, os danos, principalmente na parte superior da águia, deixaram visível parte da ferragem, deteriorada pela ação do tempo, e foram verificados por uma equipe da Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep). "O chafariz vai precisar de reparos tanto na parte externa quanto na sua base estrutural”, explica o presidente da Comdep, Leonardo Kienle Fernandes.

Por ser bem tombado pelo patrimônio histórico, o trabalho de restauração do monumento deverá ser orientado pelos órgãos de preservação. Por isso, ainda de acordo com a prefeitura, as equipes já acionaram o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), dando início aos trâmites necessários para levantamento do serviço a ser feito no local, que exigirá mão-de-obra especializada para reparos tanto externos quanto na base estrutural.

A última intervenção no chafariz na Praça da Águia aconteceu em 2017, quando a prefeitura fez uma revisão na bomba hidráulica e parte elétrica, além da limpeza e impermeabilização.

 

O monumento

O chafariz com a imagem de uma águia mordendo uma cobra foi construído em 1899, por Heitor Levy, o mesmo que mais tarde construiria o pedestal da estátua de D. Pedro II, que se encontra na praça do mesmo nome no centro de Petrópolis. O artista recebeu dois contos de réis por seu trabalho.

Mesmo antes da construção, o local já era um ponto importante da cidade. Em 1857, no mesmo lugar onde está a obra, era inaugurado o primeiro terminal de abastecimento de água para a cidade de Petrópolis. E foi assim por mais de 40 anos.

Durante muito tempo, as pessoas achavam que a escultura teria sido um presidente do governo do México. Já que os animais retratados também estão na bandeira do país norte-americano. O boato foi desmentido posteriormente, mas o significado por trás da estátua continua desconhecido.

Fonte: G1

Conheça também